07 junho 2010

Acordei para buscar trabalho, acabei surfando um clássico!


Simplesmente com este título do post, descrevo bem como foi essa segunda feira alucinante nas Ilhas Canárias. Assim é a Vida.

Voltei de Madrí no sábado pela manhã, depois de uma semana incrível de tapas y cañas com grandes amigos, que não via faz tempo. Do calor de 30° de Madrí, cheguei novamente a terra da eterna primavera, em Las Palmas de Gran Canaria.

Fazia tempo que não rolavam boas ondas por estes lados da Macaronesia, depois de um inverno com altas, a primavera ventosa não contribuiu muito, fazer o quê. Pois não é que resolveram aparecer bem no dia/semana que eu tinha focado para buscar o meu outro ganha pão!

As previsões eram boas pro sul da ilha, na praia de Maspalomas, onde é raro quebrar com tamanho. Logo, ao meio dia meus amigos Helios, italiano, e Iñigo, espanhol, me contataram. Barca feita, partimos pro destino pré determinando. Sul da ilha, com clima oposto de Las Palmas, que fica no norte. Um lindo dia nos esperava, mas com bastante vento também. Chegando lá, pouquíssimas ondas, frustrante. Surf de meia hora pra pegar umas direitas na rasa bancada de pedra.

Partimos de volta à casa ainda com a esperança de encontra-las. E quando olhávamos para a costa, ao lado do espaço natural protegido, da cratera do vulcão de Arinaga, nos chamou a atenção um porto que não conhecíamos. E aí quando brilha o espírito go search. Dentro do porto surge, de longe, uma só onda, penteada fortemente pelo terral. Que visual. Comentamos perplexos "¿chacho, has visto lo que ví?". Meia volta um pouco complicada com o carro pela av. expressa, algumas perguntas à moradores da região de como chegar, e pimba.

Uma paisagem peculiar. Muitas turbinas de energia eólica, uma planta depuradora de resíduos que deixava um cheiro raro no ar pelo vento off shore, três barcos gigantes ancorados no porto e alguns windsurfistas. Resultado, duas horas de uma queda clássica, bem ao estilo Canário de ondas, recheada de tubos, vento fortíssimo e uma rasa bancada de pedra, com meio metro de profundidade, o que renderam alguns belos cortes nos pés. O restante deixo que as fotos falem por si só, pois como diz o ditado, uma imagem vale por mil palavras!

Ah, e claro, a busca do trabalho continua essa semana!

Venga!













3 comentários:

Daniel disse...

Animal Chico!

RICARDO PRETTO disse...

Cara, que fotos!!! Fico Feliz em saber que o amigo desfrutou de um clássico!
Forte abraço!
PS: O blog tá muito bom!

Chico Lima disse...

grande galera! valeu pelos comentários, sempre são muito bienvenidos!!
um abração!